JORNAL MILÊNIO VIP - Dia dos pais - Uma Reflexão

Notícias

Dia dos pais - Uma Reflexão

Publicado na edição 162 de Agosto/Setembro de 2017

Leonardo José Carion, nascido e criado na China, mais de cinquenta anos de Brasil, é professor de Karatê, há 38 anos atuando em Magé. Aqui formou muitos faixas-pretas, dos quais diversos dão continuidade à sua missão de difundir a prática e a filosofia de sua arte para a formação de seres humanos conscientes e responsáveis.

1. Quais os principais desafios de pais e educadores nos dias atuais? São ainda os mesmos das gerações passadas?

R: Os desafios para os pais de hoje são maiores. Os pais são obrigados a ficar atentos a todos os passos dos filhos. Em casa com os computadores, equipamentos de altíssima tecnologia, vídeo games, etc... E com o ensinamento para a sobrevivência nas ruas, com as drogas, os assaltos e as companhias que seduzem para o mau caminho.


2. Quais as principais diferenças entre a forma com que a educação dos filhos era conduzida nas gerações anteriores e na atual?


R: A diferença entre a educação do passado a atual está na informação e no conhecimento. No passado nós, pais, tínhamos acesso ao conhecimento e à informação via currículo escolar. Hoje a informação está difundida nas redes sociais, porém ainda podemos auxiliar na veracidade ou não da informação e conduzir na aplicação do conhecimento.


3. Você aprova o negociar com os filhos? Acha esse método eficaz?


R: O negociar é um método eficaz de chegar a um acordo.


4. Na educação de uma criança deve-se ceder, impor, ou argumentar? Você acredita que uma palmadinha resolve?


R: Na educação de uma criança deve-se sempre argumentar. Agora, se a criança é irredutível, a autoridade dos pais deverá ser imposta - com argumento e negociação.


5. Você controlava as atividades de seus filhos, quando adolescentes, nos meios eletrônicos? De que forma?


R: Bem, na minha época os meios eletrônicos (que não eram a tecnologia de hoje) eram acessíveis a poucas famílias. Na maior parte eram usados em locais como lan houses e cyber cafés – não nas residências. Era o começo e nós, pais, não tínhamos consciência dos perigos que o uso não controlado poderia trazer. Hoje, com maior facilidade de se adquirir aparelhos eletrônicos, quase todas as famílias têm computadores, celulares, tablets, vídeo games, em casa e é possível acompanhar e estabelecer limites.


Mas a melhor forma de controle era e é conquistar a confiança dos filhos na educação e nos valores transmitidos pelos pais.


6. Percebo que pais e mães estão voltando a dar mais atenção e acompanhar as crianças em atividades, em vez de simplesmente se despreocupar permitindo que elas preencham seu tempo com um tablet ou celular. O que você acha da prática de se utilizar a tecnologia para entreter a criança?


R: A tecnologia bem aplicada no entretenimento da criança é benéfica, porém deverá ter seus limites como tempo de utilização, horário de utilização, local de utilização. Determinar hora (não tarde da noite), não na rua (sempre em local seguro). E em paralelo a criança deve sempre ter uma ou mais formas de atividades físicas e culturais. 


7. Você acha que preencher o tempo livre das crianças com muitas atividades paralelas - como cursos diversos – é uma prática que realmente tem em vista o benefício da criança?

R: O tempo das crianças deve ser sempre investido em cursos, em atividades físicas e culturais, mas sempre respeitando o desejo e o tempo de descanso da própria criança. E nunca para substituir a presença dos pais, o convívio, o compartilhar experiências.


8. Você acha que a responsabilidade pela educação dos filhos é só da mãe, ou deve ser compartilhada com o pai?


R: A respeito da educação, esta deve ser sempre compartilhada pelos dois, pai e mãe. E normalmente cada pai e cada mãe tem um conhecimento mais elaborado em alguma linha.


09. Em busca de maior proximidade e de trocas entre pais e filhos, domingo é (ou poderia ser) dia de...

R: Domingo é um dia normal e, como qualquer outro dia, deve ser sempre dia da família unida.

10. Você acredita que, enquanto educador, deve participar na formação ética e moral dos seus alunos?
R:Certamente. Uma sociedade só é equilibrada se os valores éticos e morais estão bem implantados nos seus cidadãos. E todos os que convivem com os mais jovens e transmitem conhecimentos podem e devem contribuir.
 

 

Fotos