JORNAL MILENIO VIP

Histórias de Magé

Algumas homenagens por serviços prestados a Magé

ESTA É A HORA

À Sociedade Civil de Magé

Pelo Prof. Dario Navarro

Passaram 137 anos

Onde estamos ??? Somos cidade???

Sangue... destino...  história.

Eles nos honram... engrandecem.

Que é de nosso presente???

Lutamos pelo futuro!!!

Compreendemos que somos responsáveis???

Pela sua unidade e integridade!!!

Onde está nossa raiz e memória???

Onde estão os dias de glória???

Construtores deste país-continente,

A vila... a cidade... o município.

Com o Rio trabalharam juntos

Onde estão os que foram???

Da pátria... honra da história!!!

Onde... onde estão os que foram???

Hoje quase ninguém lembra deles

Por sentir culpa de desamor à terra.

- Onde estão os que foram???

Deixando tanto patrimônio.

Que inútil... inexplicável... perdemos.

São os tigres da memória cobrando-nos

São os espelhos de nossas fraquezas acordando-nos

Por um futuro que jorrou sem rumo.

Passaram 137 anos

Fazemos justiça a esta herança???

Até quando divididos... e dispersos.

Cada dia mais frágil a cidadania.

O dever de construir o futuro dos nossos???

Desarmados na eficiência

Não alcançamos unir nossa essência.

Onde está Magé de tanta grandeza???

Filhos de uma terra

Que sangrou de suas entranhas

Por você... por mim... pelo país!!!

Até agora ninguém se importa

Pela decente e preciosa ferida.

Passaram 137 anos.

Onde estamos??? Esta é a hora!!!

Combatamos dentro de nós

A omissão que nos corrói.

Lutemos pelo amor... pela esperança

De um futuro melhor e transcendente.

Para esta terra amada que nos deu luz... fé... e essência.

Razão de nossa existência.


Magelândia - Terra mãe

lábios ao chão para beijar, com emoção e orgulho, a face histórica do teu abençoado solo, no momento em que atinges o 138º aniversário da tua independência Jurídica-político-administrativa.


Que os teus filhos, a quem cabe a tarefa de exaltar os teus feitos, nunca deixem de buscar, nas páginas do teu passado, a iluminação divina, iluminando-se entre si, numa só oração, a caminho dos grandiosos destinos do teu porvir!


- Mensagem do teu filho: 
Agra Neto

Na data magna da tua sublime existência é de joelhos, terra querida, que desço aos seus pés ! 
Agra Neto .

Contam uma história, mas a estória é outra. Ou “vice versa”


Tem gente que chega sem pé nem cabeça e começa a inventar história. Alguém chegou em um dos vários buracos feitos em morros do município e disse: “Este é o túnel dos escravos do morro da Piedade.”


Todo túnel tem uma entrada e saída em outra extremidade. O que conta nos meus conhecimentos é que são apenas buracos feitos pelos jesuítas para captação de água potável. Pois na época havia um surto de febre amarela ou impaludismo acompanhado de malária, e todas as que fossem apanhadas em nascentes ou poços a céu aberto estariam contaminadas. Dentro dos supostos tuneis o ar contaminado não consegue penetrar.


Por isso em todo morro que tem igreja no cume, em sua base tem um buraco horizontal e um poço no final.


Posso citar alguns Morro do Bonfim, Morro da Piedade


Morro da Guia de Pacobaíba


Morro de São Nicolau, Morro de São Francisco


Dizem os mais velhos que havia ouro escondido nos supostos tuneis. Até pouco tempo em Suruí existia um sujeito chamado “Nédio” que encontrou um pinico de porcelana portuguesa cheio de moedas de ouro, e a partir daí deu um jeito em sua vida, pagou as dívidas e montou a cabana do pai Thomas na cabeceira do Rio Suruí.

Celinho de Piedade