JORNAL MILENIO VIP

Histórias de Magé

O pico do Itacolomi de Magé - Desconhecido por muitos Mageenses

Palavra tupi-guarani
Ita = pedra + colomi = menino.

Baseado no Livro de Renato Peixoto, “Magé Terra do Dedo de Deus”, que para muito é a Bíblia de Magé.

Observei vários nomes ou defensores de Magé, ou apaixonados por Magé, cujo nome relacionei: Renato Peixoto dos Santos, Eraldo Telles, Walcyr Moreira, Bibe Teixeira, João Gomes, Agenor Pinto da Silva Coelho, Arnaldo de Andrade, Alcides Vieira, Mário Coelho, Renato Silveira, Carlos Goulart da Silveira, Nelly Maria de Azevedo, Jorge Mattuck e Risolêta Silveira Mattuck, Irênio Inácio da Silveira e Daniel Assumpção.

Esse livro foi escrito no ano de 1957, o ano em que eu nasci. Infelizmente, só conheci o Sr. Mário Coelho.

Nesse Livro o Renato Peixoto fala do Dedo de Deus assim:

“Bem a noroeste, no município Mageense, rodeado de inúmeros e não menos belos espigões, ergue-se altaneiro, em meio à Serra dos Órgãos, o pico “DEDO DE DEUS”.

A sua forma singular define, por si, a sua bela denominação como que plantada, entre nós, pelo Todo-Poderoso: uma possante mão de rocha mantém o indicador voltado ininterruptamente para o infinito, parecendo mostrar a todos os habitantes destes montes e vales, o nosso Criador!

Assim é o nosso belo pico “Dedo de Deus”

Impressionante e majestoso!”

O Renato dá uma dica aos Viajantes que passam por aqui:

O tu, viajante, que cruzas a Avenida Brasil e a Estrada Rio-Teresópolis; quando vires ao longe à imagem altaneira do Pico do Dedo de Deus, formando com o fundo azul diáfano do céu, na lombada majestosa da Serra dos Órgãos, não exclames jamais.

“Lá está Teresópolis! O Dedo de Deus é seu símbolo, porque errarás e serás injusto.”

Dize, sim, certo de não seres injusto e de não errares;

“Lá está o Dedo de Deus, orgulho da terra Mageense, porque, em verdade, o Dedo de Deus está situado no glorioso Município de Magé, distando 1.200 metros da fronteira teresopolitana. E, segue teu caminho, por Ele abençoado....”

Chamo a atenção para a guerrinha que já havia a respeito do Dedo de Deus, e o Renato não perdoou e disse:“distando 1.200 metros da fronteira teresopolitana e segue teu caminho, por Ele abençoado.

No mesmo ano, Plácido Agra Netto, um Mageense que amava verdadeiramente o lugar onde nasceu e apaixonado pelo município e com desejo em ver a sua terra progredir, idealizou o nosso Brasão com a figura pétrea central do Dedo de Deus, que foi aprovada pela Câmara Mageense pela Lei de 09 de junho de 1959.

Seis meses depois, a Câmara de Teresópolis cria a LEI MUNICIPAL Nº 0330, DE 03/12/1959, criando o Brasão de Armas e Bandeira do Município. Teresópolis que já foi Magé, e teve a sua emancipação em 1891, além de confeccionar o Brasão colocando o nosso Dedo de Deus, com a seguinte frase em latin: Sub Digitum Dei”, que quer dizer: “Sob o Dedo de Deus”. Frase esta, que lembra a do Renato Peixoto quando escreveu no Livro Magé Terra do Dedo de Deus.

Além de Copiar a figura do Dedo de Deus, se inspiraram na frase dita pelo Renato Peixoto. Que falta de imaginação!

Uma pergunta: Teresópolis colocando a frase Sob o Dedo de Deus, teria o direito de colocar esta imagem na sua bandeira?

Entretanto o assunto aqui, não é o Pico do Dedo de Deus, mas sim o Pico do Itacolomi.

O Agenor Pinto da Silva Coelho, escrevendo um texto cujo tema: UM DEPOIMENTO PARA A HISTÓRIA DE MAGÉ, relatou que o Renato Peixoto, nasceu em Pau Grande, inspirou-se à sombra do PICO DO ITACOLOMI, velho e impávido guardião da fronteira petropolitana e, ai, debruçado nos contrafortes da serrania. Dele tomou civicamente a imagem e semelhança, aureolado pela grandeza multiforme e congratulatória dos homens marcados pelo destino.

Lembrei-me desse Pico, que quando vinha para Magé, isto é de Santo Aleixo, nas proximidades do Viaduto, que chamávamos de Encruzo, via essa montanha. Nunca ouvi falar no colégio ou em qualquer lugar. Até mesmo o Renato Peixoto no seu livro, mencionou o tal Pico. O Agenor Pinto da Silva Coelho lembrou bem e fiquei preocupado, 56 anos depois, pois é um Pico que fica na fronteira com Petrópolis. O Pico do Dedo de Deus, que está na nossa bandeira, Teresópolis passou a mão e agora esta em Guapimirim. Isso é um tema para discutirmos depois.

Como ninguém de Magé, conhece esse Pico, e tem um detalhe, ele é visível do centro de Magé e esta na PARNASO –Parque Nacional da Serra dos Órgãos. E por falar em órgãos, não identifiquei nenhuma montanha que parece com um órgão a não ser o nosso Pico do Itacolomi.

Quem sabe, se Magé fizesse uma nova bandeira, poderíamos colocar o Cristo Redentor com a seguinte frase: “Sob a sua Proteção”. Será que o governo do Rio de Janeiro, não iria nos processar?

Levaram o nosso Pico do Dedo de Deus, mas ainda temos o Pico do Itacolomi, figura desconhecida por quase todo Mageense Se continuarmos sem conhecer a nossa Geografia e a nossa História, vamos perder também esse Pico.

Gilvaldo Dias Guerra

Grupo Resgate Memória Magé

Veja o Vídeo: