JORNAL MILENIO VIP

Histórias de Magé

Vida de Anchieta

(Um fato acontecido em Maio de 1975)

Encontrava-se o meu neto Carlos Eduardo Ferraz Rebello cursando o 2º grau no Colégio São Paulo em Teresópolis quando a equipe dele devia fazer pesquiza sobre a Vida de Anchieta. Recorreu ele ao “Vovô Gustavo” pedindo dados sobre o assunto que a seguir vou transcrever o que mandei para ele:

“Nas costas de África em pleno Oceano Atlântico, entre outras ilhas conhecidas como o arquipélago das Canárias, existe a ilha de Tenerife, em São Cristóvão da Laguna, onde nasceu em 19 de março de 1534, José de Anchieta, que anos mais tarde, viria ser o catequista das selvas, o Apóstolo do Brasil.

Foi ele batizado no dia 7 de abril do mesmo ano.

Na sua infância era conhecido em todo o colégio como “Canario”pelo primor das composições e dos versos latinos que escrevia.

Escreveu o poema sobre a Virgem Maria, considerado verdadeira obra prima.

Em 1º de maio de 1551, o noviço José de Anchieta entrou para a Companhia de Jesus. A 8 de maio de 1553 José de Anchieta viajava ao Brasil como Missionario.

Dois meses após, isto é, a 13 de julho de 1553 chegava ele á Cidade da Bahia. Em outubro do mesmo ano José de Anchieta embarcou em uma Nau com destino a São Vicente, pararam em Ilheus, Porto Seguro e Espírito Santo; na véspera de Natal, lançaram ferro em São Vicente. Ali iniciou ele o apostolado entre os Gentios, os Noviços e os alunos externos. Depois das aulas, Anchieta se dedicava ao estudo da lingual indígena e em poucos meses compunha ele uma gramática e principiara um vocabulário da língua Tupi.

Em maio de 1563 navegou até a praiade Iperoig atual Ubatuba onde pacificou a Guerra dos Tamoios, depois de ter ficado como refém. Ali naquela mesma praia, sem tinta e sem papel, escrevia Anchieta na areia, o poema da Virgem. Em 18 de janeiro de 1567, Mem de Sá entrava com uma armada na Guanabara acompanhado por Anchieta.

Em 1567 Anchieta foi nomeado Superior do Colégio de São Vicente. Assistia continuamente Anchieta aos Colonos e aos índios dos povoados, com a pregação e com os Sacramentos.

Durante 40 anos Anchieta lhes deu os seus santos exemplos e palavras. Enfrentou sempre muitos perigos e realizou vários milagres com a sua inabalável fé na Virgem Maria.

De passagem pelo mar, aportou Anchieta em Piedade (Magé) e ali benzou um Poço ainda hoje muito visitado Segundo consta depoimento de testemunhas de curas, no Processo de Canonização (ARCH.SCRIT, hoje no Vaticano.B.121,FF84 V.)

Em 1594 recolheu-se finalmente a Capitania do Espírito Santo, onde pouco depois foi nomeado Superior do Colégio e suas residências. Abraçado ás imagens de Jesus Cristo e da Santíssima Virgem falecia Anchieta o apóstolo do Brasil; era o domingo, 9 de junho de 1597.”

Dias após eu ter mandado os dados solicitados, o gaiato do meu neto, ainda telefonou para mim dizendo: “Vovô o senhor tirou 10.”

Magé,18-5-04
Gustavo Ferraz