JORNAL MILENIO VIP

Histórias de Magé

Homenagens a Garrincha filho de Magé.

1) Balada n° 7, (Mané Garrincha). Musica de Moacyr Franco: ...Hoje outros craques repetem as suas jogadas Ainda na rede balança o seu ultimo gol Mas pela vida impedido parou E para sempre o jogo parou Suas pernas cansadas correram pro nada E o time do tempo ganhou...

2) Ciclovia Mané Garrincha. A ciclovia Mané Garrincha é uma das maiores da cidade, com 14 quilômetros de extensão, ligando a orla de Copacabana até o Museu de Arte Moderna (MAM), no CentroRJ.

3) CIEP Mané Garrincha em Pau Grande - Magé Fica localizada na rua José Pereira Souza, s/n, Pau Grande – Piabetá/RJ.

4) Estádio Mané Garrincha Inaugurado em 1974, o Estádio Mané Garrincha é hoje mais do que um simples espaço para a realização de partidas de futebol. O complexo esportivo conta com vestiários, sala de fisioterapia, alojamento, restaurante e academias. Há ambiente, inclusive, para a prática de outras modalidades, como judô, ginástica, capoeira e dança. O estádio, que também possui uma escolinha de futebol, tornou-se sede das federações de esportes da cidade de Brasília e pertence ao Departamento de Esportes, Educação Física e Recreação do Distrito Federal.

5) Museu Mané Garrincha Atualmente fica localizada na rua Professor Eurico Rabelo, Portão 18 Maracanã, Rio de Janeiro.

6) O Poeta e admirador de Garrincha, Carlos Drummond de Andrade, escreveu: “Se há um deus que regula o futebol, esse deus é sobretudo irônico e farsante, e Garrincha foi um de seus delegados incumbidos de zombar de tudo e de todos, nos estádios...” “O Pior é que as tristezas voltam e não há outra Garrincha disponível.”

7) O filme de Garrincha: A Estrela Solitária. Algumas cenas do filme foram filmadas na cidade natal do ídolo, Pau Grande - Magé. O filme do jogador Manuel dos Santos, o Mané Garrincha, expõe a vida do "demônio das pernas tortas" dentro e fora do campo, confrontando o mito do futebol mundial ao homem humilde do interior.

8) Em 1980, a escola de samba Mangueira homenageia Garrincha, que desfila em um carro alegórico especialmente preparado para ele. As várias facetas de Mané Garrincha são mostradas a partir das lembranças de pessoas que lhe foram muito próximas e que o amaram de diferentes maneiras. As histórias que Elza Soares, Iraci, Sandro Moreyra e Nilton Santos viveram com Garrincha compõem uma visão multilateral de sua intrigante personalidade e de seu destino de glórias e tragédias. Os atores que estrelaram o filme: André Gonçalves, como Garrincha, e Taís Araújo, como Elza Soares.